SEJA BEM-VINDO.

Este é um blogue humilde.

Espero, que se sinta bem, aqui.



Nem sempre o dia amanhece, igual

E, então, a nossa Alma, por tal

Reflete a luz de modo diferente

O importante é olhar o mundo

E tentar entender o seu profundo

E caricato modo de moldar a gente





Espero, que aprecie os momentos, que

estiver, aqui, e que esse seja um motivo,

para que volte.





POR FAVOR, DEIXE OS COMENTÁRIOS NOS POEMAS, APENAS.

CASO CONTRÁRIO ACABARÃO, POR PERDER-SE, AQUANDO DA

RENOVAÇÃO DO BLOGUE



apsferreira



terça-feira, 8 de março de 2011

Uma Canção de embalar

Toca, um violino, cansado
Uma canção de embalar
E um menino, ensonado
Ouve-a, com os olhinhos a piscar
Pobrezinho, ainda não tem siso...
E, por ela, deixa-se levar
Viaja, assim, pelo Paraíso
Ao som do que está a escutar
Enquanto, uma mão de mansinho
Bate leve no seu rabinho
Como, se para o acalmar
E nesse momento, preciso
Em que ele se deixa encantar
Desenha, em sua face, um sorriso
E deixa os seus olhinhos fechar...

apsferreira

3 comentários:

Susan disse...

Amigo no teu poema posso ver a mãe a embalar seu filho ...que lindo !!!
Beijos
Susan

Beatriz Grabosch disse...

Muito doce este poema.
Beijinhos
Beatriz

EU disse...

Muito terno, Albano. Gostei! Bjinho :)