SEJA BEM-VINDO.

Este é um blogue humilde.

Espero, que se sinta bem, aqui.



Nem sempre o dia amanhece, igual

E, então, a nossa Alma, por tal

Reflete a luz de modo diferente

O importante é olhar o mundo

E tentar entender o seu profundo

E caricato modo de moldar a gente





Espero, que aprecie os momentos, que

estiver, aqui, e que esse seja um motivo,

para que volte.





POR FAVOR, DEIXE OS COMENTÁRIOS NOS POEMAS, APENAS.

CASO CONTRÁRIO ACABARÃO, POR PERDER-SE, AQUANDO DA

RENOVAÇÃO DO BLOGUE



apsferreira



sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

....................... Um Céu Escuro .......................

..................................................................................
............................... Ah, Estrelinha, ................................
.............. como era bom sentir-te por perto, de mim... .............
................... Como era bom ver cintilar a tua luz ....................
........................... tão ténue - tão doce, .............................
...................... que, a minha vida, iluminava ........................
...................................... e .........................................
................... lhe dava aquele belo tom, do cetim ....................
..................................................................................
..................................................................................
.................. (Ah, como aquela tua luz me seduz...) .................
..................................................................................
..................................................................................
............................... Ah, Estrelinha, ................................
............. quando a beleza dos reflexos, teus, eu revejo, .............
............................... em meu coração, .............................
................ eu sinto uma tristeza, tão proeminente, .................
.............. porque tu não satisfizeste este meu desejo ................
....................................... e ........................................
.................... da minha vida saíste, num repente ...................
....... sem, sequer dares-me um beijo, nem dizeres-me adeus .......
.................................................................................
............ Nunca mais eu senti o teu brilho, desde, então ... ..........
..................................................................................
..................................................................................
............................... Ah, Estrelinha, ................................
....................... com que beleza tu brilhavas ... ....................
..................................................................................
................. Esse teu brilho era tão impressionante ..................
..................................................................................
..... Tu nem sabes como a luz que, a mim, davas era importante .....
..................................................................................
.................... Porque, me a apagaste, tu, assim? ...................
..................................................................................
................................. apsferreira ..................................
..................................................................................

2 comentários:

Silviah Carvalho disse...

Muito bonito o poema, parabéns,feliz dia de natal, muita paz.

Susan disse...

Albano que poema lindo nas pequeninas coisas de estrelas a iluminar o teu caminho ...
Beijo
Susan