SEJA BEM-VINDO.

Este é um blogue humilde.

Espero, que se sinta bem, aqui.



Nem sempre o dia amanhece, igual

E, então, a nossa Alma, por tal

Reflete a luz de modo diferente

O importante é olhar o mundo

E tentar entender o seu profundo

E caricato modo de moldar a gente





Espero, que aprecie os momentos, que

estiver, aqui, e que esse seja um motivo,

para que volte.





POR FAVOR, DEIXE OS COMENTÁRIOS NOS POEMAS, APENAS.

CASO CONTRÁRIO ACABARÃO, POR PERDER-SE, AQUANDO DA

RENOVAÇÃO DO BLOGUE



apsferreira



quinta-feira, 25 de outubro de 2012

A Irracionalidade do Amor

A conclusão a que eu chego, minha querida,
É que tu és a vertente mais irracional, da minha vida
Uma vertente queé demasiado tangente,
Para que possa não ter que ser calculada
Cuidadosamente...

Eu não consigo, minimamente, entender
Por que razão tu deixas, o meu dedicado coração,
Neste sem fim de arder,
E, porque tu me fazes, assim, sem mais nada
Sentir neste mar carmim,
Com a minha Alma, neste estado, descompensada...

Como hei-de, eu, compreender de antemão,
Por que razão tu me causas uma tal sensação
Tão sobremaneira abismal
Mas tão necessária; tão visceral...
Tão humana, mas, tão excessivamente animal
E, que me deixa a flutuar em bela sensação, vidrado...
Completamente, enlouquecido; absolutamente alucinado

Qual é o porquê da força deste sentimento,
Que eu nutro, tão forte, por ti,
Ora, imensamente magistral, ora, de depravado pecado,
Como outro, assim explosivo, eu antes nunca senti
Ele é tão doce, porém tão complicado,
Pois, que ele é tão velado, como é celestial...?
E, ora magoa; ora tem um trinado encantador, fenomenal...

E eu fico, cá, a me perguntar, afinal,
Porque eu te vejo, essa pessoa assim essencial
E porque o teu toque me faz subir aos céus,
Num voar delicioso, sem véus...
Por um mundo tão idílico, mas tão visceral,
Neste frenesim, sem fim, abismal...

Num mundo que é tão imensamente apetecível
Onde, o amor, é a única lei que ele tem credível
Em que o teu corpo, porém, é a sua única grei
A tua Alma um ímpar elixir luxuriante
Que, o meu coração, deixa a bramir
Neste seu estado de paixão exuberante

É..., eu tenho que muito simplesmente convir
Que eu não consigo minimamente entender
Que eu não consigo absolutamente discernir,
O que tu fazes, em mim, acontecer...

Eu não consigo compreender, o porquê
De, por um mundo, onde tanta coisa emocionante, se vê
E, sempre, segundo o semblante que nos convém
Que, nesse além, fora tu, não haja nada mais sonante
E que eu não consiga querer mais ninguém...

apsferreira

(poema dedicado)

2 comentários:

Filipe Campos Melo disse...

o verso autentico
na emoção que não cede

Abraço

Raimunda DA SILVA NASCIMENTO disse...

Albano, querido poeta aqui está a Perfeita tradução do que é conjugar o verbo A IRRACIONALIDADE DO AMOR.
Bjus no teu coração Amigo. Ray Nascimento - http://www.luso-poemas.net/userinfo.php?uid=15677 - www.recantodasletras.com.br/autores/raynascimento/