SEJA BEM-VINDO.

Este é um blogue humilde.

Espero, que se sinta bem, aqui.



Nem sempre o dia amanhece, igual

E, então, a nossa Alma, por tal

Reflete a luz de modo diferente

O importante é olhar o mundo

E tentar entender o seu profundo

E caricato modo de moldar a gente





Espero, que aprecie os momentos, que

estiver, aqui, e que esse seja um motivo,

para que volte.





POR FAVOR, DEIXE OS COMENTÁRIOS NOS POEMAS, APENAS.

CASO CONTRÁRIO ACABARÃO, POR PERDER-SE, AQUANDO DA

RENOVAÇÃO DO BLOGUE



apsferreira



terça-feira, 27 de março de 2012

Protesto à Saudade

Ó Saudade, porque me condenas, tu,
desse modo tão grosseiro e cru
nas arenas da minha triste realidade?

Sempre, que tu me vês só e carente
tu entras-me aqui, num repente,
para impedires-me de fazer frente
a esta minha cruel verdade...

Porque és, tu, tão atrevida
e invades assim a minha vida
com tamanha iniquidade?

Tu entras sem bateres à porta
porque à minha Alma, já meia morta,
tu vês a fraquejar-lhe a vontade...

apsferreira

2 comentários:

Filipe Campos Melo disse...

A saudade que nos faz verso

Um abraço

Claudia Santos disse...

Olá Albano...
A saudade é uma dor que nos corrói a alma em silêncio.
Gostei dos teus versos.
Um abraço daqui que atravesse o oceano. :)