SEJA BEM-VINDO.

Este é um blogue humilde.

Espero, que se sinta bem, aqui.



Nem sempre o dia amanhece, igual

E, então, a nossa Alma, por tal

Reflete a luz de modo diferente

O importante é olhar o mundo

E tentar entender o seu profundo

E caricato modo de moldar a gente





Espero, que aprecie os momentos, que

estiver, aqui, e que esse seja um motivo,

para que volte.





POR FAVOR, DEIXE OS COMENTÁRIOS NOS POEMAS, APENAS.

CASO CONTRÁRIO ACABARÃO, POR PERDER-SE, AQUANDO DA

RENOVAÇÃO DO BLOGUE



apsferreira



sexta-feira, 5 de novembro de 2010

As Duas Faces da Moeda

Cada moeda tem duas faces
E se uma é o reverso, a outra será o verso!
E se a virarmos ao contrário,
Nada haverá de perdulário – não fará qualquer mal…
Cada uma passa a ser o inverso.
Então, qual das duas faces será a principal…?

Por analogia daí pode-se concluir,
Que, como tal, há tanta…, mas, tanta coisa, na vida
Tanta coisa por que afincadamente lutamos,
Por ser-nos a coisa mais apetecida.
Ah, quantas vezes, quase nos matamos…
E esfolamo-nos, por ela, a lutar
Chegamos a ir, para além do que nos é aconselhável ir
Porém, muitas são as vezes, que não a conseguimos alcançar…
E, então, é tanto…, mas, tanto o que nos consumimos
Ah, quanto…, mas, quanto nos desiludimos…!

Mas, afinal, porquê toda esta exigência,
Se tudo na vida não passa de uma contingência…?

Em cada caminho, por onde nós seguimos
Quando há que tomar uma decisão
Surgem, sempre…, mas, sempre, nele, enlaces.
Pois, tal como a moeda, na vida
Sempre, para tudo, existem duas faces.
Há, sempre, uma segunda opção!
É, tal e qual, os dois bicos do pau
Se uma tem algo de muito bom
Também o terá, de muito mau!

É, que o povo tem sempre razão…
E ele diz que não há bela, sem senão!

A solução ideal é, sempre, por nós, a pretendida
Mesmo, que haja outra o bastante satisfatória…
E que nesse reverso consigamos encontrar
Algo, que consegue, perfeitamente, compensar
E quanto não arriscamos, nós, da vida
Porque a segunda é sempre tida, como solução inglória
Uma solução, que, por tal, entristece-nos o coração…
Que parece retirar-nos o travo da vitória
O que nos causa uma imensa frustração!

Isto é, tal e qual, como eu aqui vos digo
E, por tão pouco, chega-se a por tudo…, mas tudo em perigo!

A moral desta história é, por demais, evidente
E o que, dela, nós tão facilmente poderemos reter
É que, amigo, realmente, viver… viver não custa
O que custa, efectivamente, é saber viver.

apsferreira

Um comentário:

Susan disse...

Albano que grande verdade sobre a vida´ oquão dificil é saber viver ...
Beijos
Susan