SEJA BEM-VINDO.

Este é um blogue humilde.

Espero, que se sinta bem, aqui.



Nem sempre o dia amanhece, igual

E, então, a nossa Alma, por tal

Reflete a luz de modo diferente

O importante é olhar o mundo

E tentar entender o seu profundo

E caricato modo de moldar a gente





Espero, que aprecie os momentos, que

estiver, aqui, e que esse seja um motivo,

para que volte.





POR FAVOR, DEIXE OS COMENTÁRIOS NOS POEMAS, APENAS.

CASO CONTRÁRIO ACABARÃO, POR PERDER-SE, AQUANDO DA

RENOVAÇÃO DO BLOGUE



apsferreira



segunda-feira, 8 de novembro de 2010

O clarear

Pensei, que o vento te levara
Por um desfiladeiro, incerto
E, por certo, lá te aprisionara

Então, minh`alma, que dorida
Sangrando de profunda ferida
Em grande tristeza, definhava

Quis, o vento trazer-me, então
Um novo alento, pela sua mão
O que minh`alma mais precisava…

Pois, que na escuridão vagueava
Por denso nevoeiro, sem farol
Veio esse vento e abriu-se o sol

apsferreira

2 comentários:

Susan disse...

Albano um clarear profundo num poema forte e sentido .
Muitissimo lindo !!!
Beijos
Susan

Zaza Rib disse...

Os ventos são assim meu amigo, ele leva e quando é generoso devolve...
Mas não chore pelo o que o vento levou, mas chore pelo o que restou nas mãos...

A - D - O - R - E - I o poema.

Sou sua fan n°1