SEJA BEM-VINDO.

Este é um blogue humilde.

Espero, que se sinta bem, aqui.



Nem sempre o dia amanhece, igual

E, então, a nossa Alma, por tal

Reflete a luz de modo diferente

O importante é olhar o mundo

E tentar entender o seu profundo

E caricato modo de moldar a gente





Espero, que aprecie os momentos, que

estiver, aqui, e que esse seja um motivo,

para que volte.





POR FAVOR, DEIXE OS COMENTÁRIOS NOS POEMAS, APENAS.

CASO CONTRÁRIO ACABARÃO, POR PERDER-SE, AQUANDO DA

RENOVAÇÃO DO BLOGUE



apsferreira



segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Para Além da Ilusão

Quanto homem, quanta mulher feia, ou bonita,
vive numa teia, e com a sua Alma extremamente aflita,
pois que a vida se empolou.
O rumo que a sua vida afinal tomou
defraudou a expectativa, que lhe era bendita,
e o seu sonho logo se evaporou
e, por esta nova forma de sentir a vida,
ela acabou por se deixar ficar comprometida,
e grandemente cativa...

Quanto homem, quanta mulher bem decidida,
que sabe bem o que da vida quer,
mas que dela se encontra refém,
porém, não tem outra alternativa.
Ela hesita em mudar o percurso que a sua vida tem,
porque lhe falta coragem para aventurar-se
a lançar-se numa verdadeira viragem,
como à sua vida muito convém...

Quanto homem, quanta mulher já madura, até rapariga,
mas, que já sabe bem o que ela quer,
estando sujeita a uma violência, qualquer
se não tiver uma mão amiga - aquela alma que a instiga...
se mantém a viver numa falsa calma,
fustigada pelo desamor
e pela dor que, em consequência, também lhe fustiga a Alma

Quanto homem, quanta mulher informada
mas a quem a vida já muito castigou,
vive uma vida sem cor, sem carinho, e sem amor,
e vê com horror a sua vida depravada
porque o destino, apenas o destino, e mais nada, a logrou.
No decurso do seu caminho ela encarnou
de um tal modo a responsabilidade,
que a fez esquecer-se a sua própria necessidade,
e viver assim uma vida de dor,
por sentir um pudor, sem fim,
que a impediu de estabelecer,
uma nova realidade no seu modo de viver.

Quanto homem, quanta mulher mais, ou menos activa...
pessoas extremamente permissivas e solidárias
vivem em enorme carência afectiva
por tantas e outras quantas questões, várias
familiares, sociais, ou monetárias
e nunca se aventuram a iniciativas
abdicando de alcançar uma nova meta.
Elas sujeitando-se a viver aos trambolhões
em dependências, e cativas de chavões,
e deixam a sua vida se escoar,
até a morte as levar,
quantas, e quantas, vezes precocemente
porque, em nome de uma pseudo-virtude,
nunca se sentiram capazes de tomar
a mais evidente, e promitente,
por vezes uma tão simples atitude...

apsferreira

2 comentários:

★♡ Jorge e Dani ♡★ - Távola de Estrelas disse...

Um texto que é um verdadeiro reflexo para quem vê mas não enxerga a vida com a clareza e discernimento que ela merece. Muitos apenas estão aqui de passagem, sentados nas suas teimosias sem a mínima pretensão de levantar da mesmice, do comodismo e tomar uma atitude para renascer, para viver in situ. Brilhante texto amigo poeta. Parabéns!

beijinhos

Fátima Rodrigues disse...

Dá que pensar, esse teu texto meu amigo, a muito boa gente! ;)

Quantas vezes ficamos sentados na nossas poltronas, acomodados, vendo a vida passar sem tomarmos uma atitude e como diz a canção :' Mudar de vida se tu não vives satisfeito, mudar de vida se a vida em ti é outro jeito'

Goste meu querido amigo

beijokinhas